quarta-feira, 11 de maio de 2011

Artigo Feng Shui Flor de Lótus nº 31- Março e Abril 2011

O que é o Feng Shui?

"Ensinai as vossas crianças que uma casa só é habitável quando está cheia de luz 

e de ar (...)"


Le Corbusier 


Achei muito interessante esta frase do arquitecto Le Corbusier, de facto também se aplica no Feng Shui. 



Uma casa com um chi saudável e harmonioso, onde haja boa energia, onde o chi flua harmoniosamente proporciona uma vida mais equilibrada aos seus habitantes.
Uns dos conselhos que dou nas consultas de Feng Shui é a importância de arejar os ambientes, ter boa energia solar e ter plantas naturais nos locais onde vivemos e trabalhamos.
No último workshop que realizei em conversa com os alunos, percebi que existem algumas dúvidas sobre o significado de Feng Shui, quais os benefícios desta arte milenar chinesa e os resultados que podemos obter com uma consulta de Feng Shui às nossas casas ou local de trabalho. Depois há alguma confusão com as várias escolas de Feng Shui e respectivas análises.


O Feng Shui dá-nos instruções para melhorar a energia do ambiente onde vivemos e trabalhamos. Para todas as situações menos agradáveis, o Feng Shui oferece soluções, que passam pela procura do equilíbrio entre o yin e yang , pela harmonia entre os cinco elementos e os pelos vários sectores da casa. Metaforicamente, a nossa casa é o nosso “segundo corpo”. A forma como tratamos a nossa casa tem uma verdadeira influência no nosso corpo físico e nos acontecimentos que ocorrem na nossa vida.


Todos os elementos na nossa casa contribuem para condicionar o seu chi. O principal objectivo do Feng Shui é combinar o chi da casa com o dos seus habitantes. Com o Feng Shui podemos aprender a reconhecer e distinguir as energias positivas e negativas e também a aprender as sugestões de forma a aumentar o fluxo positivo de energia chi. 


O Feng Shui é uma arte que pode ser trabalhada de diferentes maneiras consoante a escola que se utiliza: a Escola da Forma dá uma maior importância aos fluxos do chi, já a Escola Intuitiva determina que a porta de entrada está coincidente com o Norte virtual, por sua vez a Escola da Bússola trabalha com os pontos cardeais, referindo a importância da exposição solar. 

Todas as várias escolas partilham os princípios básicos: a forma como a energia se movimenta, o Yin e o Yang, os cinco elementos (Água, Árvore, Fogo, Solo e Metal) e os oito trigramas. 


Um dos princípios mais elementares do Feng Shui é a teoria do Chi. Chi é a palavra chinesa que tem vários significados, tal como energia vital, sopro e vitalidade. Há outras culturas que têm termos para esta energia vital, ki em japonês, prana em indiano, força vital no ocidente. Chi é a força interior que vive dentro de entidades como o corpo humano, plantas ou edifícios. A energia chi é transportada através da atmosfera pelo vento, pela água, pela energia solar, pela luz e pelo som. A circulação para dentro e para fora dos edifícios faz-se essencialmente através das portas e das janelas. Existem vários tipos de Chi: chi favorável, chi estagnado, chi cortante e chi desfavorável.
A Escola da Forma estuda os fluxos do chi. Se o chi for muito acelerado não conseguimos recarregar a nossa energia correctamente. Se o chi for muito lento o nosso próprio chi tende a estagnar. Também analisa a topografia, a forma da casa, dos compartimentos e a disposição do mobiliário.


A Escola Intuitiva não utiliza a bússola como ferramenta, aplica o “Baguá”- uma grelha com nove áreas, cada qual correspondendo a diferentes aspectos da vida, simbolizados por um trigrama. Com esta análise sabemos que áreas da nossa casa influenciam determinadas áreas da nossa vida. 


Esta grelha deverá ser aplicada sobre a planta geral da casa ou sobre um dos compartimentos, colocando o sector da Carreira sobre a parede onde se situa a porta de entrada principal (“Norte” virtual). A Escola Intuitiva ou “Chapéu Preto” começou na década de 80, quando Lin Yun, proveniente de Hong Kong, começou a ensinar Feng Shui na Califórnia. Um dos seus alunos foi Bill Spear, que no início da década de 90, levou o Feng Shui para o Reino Unido. Os ensinamentos da escola “Black Hat” eram essencialmente de uma natureza intuitiva . Este sistema com conceitos muito simples teve aceitação imediata pelo público ocidental em geral.


A Escola das oito direcções foi desenvolvida pelo inglês Simon Brown, é chamado o “Feng Shui contemporâneo” e a análise é feita de acordo com as características do centro da habitação, falhas ou extensões, posição dos compartimentos segundo os sectores, localização da porta de entrada, orientação das camas e secretárias. A grelha das 8 direcções é utilizada para determinar o padrão de energia chi existente na habitação. 


As características astrológicas (ki 9 estrelas) dos habitantes e a forma como os habitantes interagem também é estudado. É usada a bússola e faz-se a medição da direcção do dorso da construção em relação ao Norte Magnético. Depois com a planta da casa determina-se o centro da habitação, a frente e o dorso e faz-se a observação do exterior, interior e mobiliário existente de cada compartimento. As sugestões para harmonizar os ambientes são de acordo com os princípios das 5 transformações e as sensações das energias de cada sector.


Na Escola da Bússola - Feng Shui Clássico temos duas Escolas: Fei Sin ou Estrelas Voadoras e Ba Zhai ou Escola das 8 Mansões. É usada a bússola chinesa Luo-pan e faz-se a medição da direcção da construção em relação ao Norte Magnético.


Numa consulta de Feng Shui Clássico, além do valor ser mais elevado, as curas são mais focalizadas. É feito um mapa energético da casa, a planta é dividida em 8 sectores e temos quatro zonas com energia favorável e quatro zonas com energia desfavorável. No relatório da consulta são feitas as sugestões de harmonização dos espaços, de modo a reduzir a influência da energia negativa. O método das Estrelas Voadoras dá-nos um mapa energético que muda a cada período de 20 anos, a cada ano e mesmo a cada mês.


Com a Escola Ba Zhai a análise do mapa energético da casa é mais estático e intemporal. A partir da medição da orientação da casa, divide-se a casa em oito sectores, atribuindo a cada sector um trigrama que está associado a uma de oito estrelas. Cada uma destas oito estrelas tem um chi próprio, havendo 4 estrelas positivas e 4 estrelas negativas. O Ba Zhai classifica as casas em oito tipos consoante o sua orientação do seu dorso em relação ao Norte. Com o estudo do Ba Zhai também determinamos quais as posições favoráveis e desfavoráveis para dormir e trabalhar de cada habitante da casa. 
Os métodos e análises das várias escolas de Feng Shui são vários e é importante perceber e distinguir qual o melhor que se adapta ao seu caso. Através da sua análise será possível avaliar e propor as necessárias correcções, solucionando ou melhorando, problemas financeiros, de saúde, emocionais, ou profissionais.


Artigo publicado no Portal Sapo 
Sapo Mulher: http://mulher.sapo.pt/casa-jardim/feng-shui/o-que-e-o-feng-shui-1132312-2.html
Sapo Astral: http://astral.sapo.pt/terapias/feng-shui/o-que-e-o-feng-shui-1132001.html

Sem comentários:

Publicar um comentário